Vem me seguir também...vem

PARA ACHAR ALGO DIGITE A PALAVRA

terça-feira, 12 de abril de 2011

DO DECRETO ETERNO DE DEUS



I. - Desde toda a eternidade, e pelo sapientíssimo e santíssimo conselho de sua própria vontade, Deus ordenou livre e imutavelmente tudo quanto acontece; porém, de modo tal que nem é Deus o autor do pecado, nem se faz violência à vontade das criaturas, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, ao contrário estas são estabelecidas.

Is 45:6-7; Rm 11:33; Hb 6:17; Sl 5:4; Tg 1:13-17; I Jo 1:5; Mt 17:2; Jo 19:11; At 2:23; At 4:27-28 e 27:23, 24, 34.

II. - Embora Deus saiba tudo quanto pode ou há de suceder em todas as circunstâncias imagináveis, contudo ele não decretou coisa alguma por havê-la previsto como futura, nem como algo que haveria de acontecer em tais circunstâncias.

At 15: 18; Pv.16:33; I Sm 23:11-12; Mt 11:21-23; Rm 9:11-18.

III. - Pelo decreto de Deus e para a manifestação de sua glória, alguns homens e anjos são predestinados para a vida eterna e outros são preordenados para a morte eterna.

I Tm 5:21; Mc 5:38; Jd 6; Mt 25:31, 41; Pv 16:4; Rm 9:22-23; Ef 1:5-6.

IV. - Esses anjos e homens, assim predestinados e preordenados, são específica e imutavelmente designados, e seu número é tão certo e definido, que não pode ser nem aumentado e nem diminuído.

Jo 10: 14-16, 27-28; 13:18; II Tm 2:19.

V. - Aqueles dentre a humanidade que são predestinados para a vida, Deus, antes que fossem lançados os fundamentos do mundo, segundo seu eterno e imutável propósito, e o secreto conselho e beneplácito de sua vontade, escolheu em Cristo para a glória eterna, simplesmente por sua livre graça e amor, sem qualquer previsão de fé ou de boas obras, ou de perseverança em qualquer um deles, ou de qualquer outra coisa na criatura, como condições ou causas que a isso o movessem; e tudo para o louvor de sua gloriosa graça.

Ef 1:4, 9, 11; Rm 8:30; II Tm 1:9; I Ts, 5:9; Rm 9:11-16; Ef 1: 19: e 2:8-9.

VI. - Visto que Deus designou os eleitos para a glória, assim ele, pelo eterno e mui livre propósito de sua vontade, preordenou todos os meios para se alcançar esse propósito. Por conseguinte, aqueles que são eleitos, achando-se caídos em Adão, são redimidos por Cristo; são eficazmente chamados à fé em Cristo mediante seu Espírito que opera no devido tempo; são justificados, adotados, santificados e guardados por seu poder mediante a fé para a salvação. Nenhum outro é redimido por Cristo, ou eficazmente chamado, justificado, adotado, santificado e salvo, senão unicamente os eleitos.

I Pd 1:2; Ef. 1:4 e 2: 10; II Ts 2:13; I Ts 5:9-10; Tt 2:14; Rm. 8:30; Ef 1:5; I Pd 1:5; Jo 6:64-65 e 17:9; Rm 8:28; I Jo 2:19.

VII. - Aprouve a Deus, segundo o insondável conselho de sua própria vontade, pela qual estende ou retrai sua misericórdia, como lhe apraz, para a glória de seu soberano poder sobre Suas criaturas, não contemplar o restante e ordená-lo para a desonra e ira por causa de seu pecado, para o louvor de sua gloriosa justiça.

Mt 11:25-26; Rm 9:17-22; II Tm 2:20; Jd 4; I Pd 2:8.

VIII. - A doutrina deste profundo mistério de predestinação deve ser tratada com especial prudência e cuidado, a fim de que os homens, atentando para a vontade de Deus revelada em sua Palavra, e rendendo-lhe obediência, possam, proveniente da certeza de sua vocação eficaz, se assegurar de sua eterna eleição. E assim, a todos quantos sinceramente obedecem ao Evangelho, esta doutrina fornecerá motivo de louvor, reverência e admiração a Deus, bem como de humildade, diligência e abundante consolação.

Rm 9:20 e 11:23; Dt 29:29; II Pd 1:10; Ef 1:6; Lc 10:20; Rm 5:33, e 11:5-6, 10.


Declaração de Savoy, cap. III

Nenhum comentário: